..::Ministério da Reconciliação::..

Text size
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Estudos Bíblicos

Estudos Bíblicos

Tiatira, A igreja Tolerante

“E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações, e com vara de ferro as regerá; e serão quebradas como vasos de oleiro; como também recebi de meu Pai. E dar-lhe-ei a estrela da manhã. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.” (Ap.2.26-29)

Os vencedores, aqui, são identificados como aqueles que guardam as obras de Jesus no coração (“guarda até ao fim as minhas obras”), seguindo-o e aprendendo dEle, como Ele é de fato revelado na Bíblia, especialmente nos quatro evangelhos. Jesus dará aos vencedores “poder sobre as nações”. Ou seja: permitirá que compartilhemos de seu poder, autoridade e governo, desfrutando plenamente de seu triunfo, e ajudando-o a pastorear com a “vara de ferro” as nações que sobreviverem à Grande Tribulação (Ap 2.27). A vara do pastor era usada para quebrar os ossos dos predadores do rebanho. Portanto, a profecia, aqui, é relacionada com as profecias do Salmo 2.8,9 e Daniel 2.34,35; 44,45. Sim, a vara de ferro esmigalhará as nações que rejeitarem a Cristo como se fossem feitas de barro (Jo 5.22).

O Salmo 2 diz-nos que Deus dará a seu Filho as nações por herança, e os fins da terra por sua possessão. Como crentes fiéis, somos herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, sendo portanto participantes da herança. E, juntos, estaremos quando Ele vier estabelecer seu reinado sobre a terra (Gl 4.7; Tt 3.7).

A profecia do capítulo dois de Daniel mostra a sequência dos impérios naquela estátua gigantesca que tinha a cabeça de ouro, representando o império babilônico; o peito e os braços de prata, representando o império medo-persa; o ventre e as coxas de cobre, representando o império grego de Alexandre, o Grande; as pernas de ferro, representando os romanos; e os pés de ferro e barro, representando os estados nacionalistas que, por causa de suas diferenças, não chegaram a se misturar totalmente. Cada império dava lugar a um império sucessor, mas todos faziam parte da estátua – o velho sistema mundial. A astrologia de Babilônia, a ética medo-persa, a arte e a filosofia gregas, e o direito romano, ainda influenciam o sistema mundial. Nunca houve outra ordem neste mundo além desta.
Então Daniel vê uma pedra que, repentinamente, é cortada da montanha sem auxílio de mãos humanas (Dn 2.34). A pedra fere a estátua em seus pés. E o ouro, prata, cobre, ferro e barro são transformados em pó; desaparecem completamente. A pedra, então, torna-se num reino que enche toda a terra. O ponto básico desta profecia é que o reino de Cristo somente se estabelecerá plenamente sobre a terra através de um julgamento. Até as boas coisas do atual sistema devem ser destruídas e removidas para que a excelência do reinado de Deus se instaure. Se formos fiéis, se em tudo sairmos vencedores, compartilharemos de sua triunfante vitória, quando Ele livrar a terra do presente sistema. Isto significa que retornaremos com o Senhor Jesus, que estará cumprindo as profecias de 2 Tessalonicenses 1 e Apocalipse 19.

Os vencedores de todas as igrejas, de todos os tempos, que compartilharem do triunfo de Cristo, receberão mais do que poder e autoridade sobre as nações. Ele nos dará a “estrela da manhã” (v.28). Na Bíblia, a estrela da manhã não é necessariamente o planeta Vênus. Pode ser ás vezes o Sol, que é a estrela que nos traz a manhã. Como a estrela da manhã, o Sol é um tipo de Cristo, o “Sol da Justiça” (Ml 4.2), que nos proporciona a luz das verdades de Deus. Malaquias ainda diz que este sol tem “cura em suas asas”, isto é, em seus raios. Consequentemente, ao nos dar a estrela da manhã, Jesus estava dizendo que nos daria a si mesmo de uma maneira nova e maravilhosa.

No versículo 29, Jesus enfatiza que esta mensagem, à semelhança das outras dadas previamente, não era para uma única igreja, mas a todas em todos os lugares e tempos. O Espírito aplicaria a mensagem, que haveria de ser colocada em forma escrita, e a administraria aos corações de todos os ouvintes. Se ouvimos, não temos desculpa; quanto aos que não a ouviram, serão esmiuçados pelo julgamento que há de vir.

Texto extraído da obra “Apocalipse: As coisas que brevemente devem acontecer” – Editado pela CPAD.

* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores
e não refletem, necessariamente, a opinião do Gospel Prime.

 

 

10 Razões porque os cristãos não devem celebrar o Natal

1-  Porque a Bíblia não manda celebrar o nascimento.
 
2-  Porque Jesus não nasceu em 25 de dezembro. Esta data foi designada por Roma numa aliança pagã no séc...

Exaltarei o meu ego: músicas pseudo cristãs que deturpam o Evangelho

Na cosmovisão cristã o louvor é – ou deveria ser- expresso na musicalidade dos hinos cantados nos cultos. O momento do louvor pressupõe um ato comunitário de tributo a De...

Menos Caio Fábio; mais Russel Sheed

Não queria voltar a escrever tão cedo. Tampouco gostaria de me ocupar de mais uma polêmica que, como manda o figurino, enfureceu cristãos conservadores e fez a alegria do...

O evangelho do comichão

Em II Timóteo 4.3-4 o apóstolo Paulo diz:
“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as ...

A suficiência da Escritura

♪ “ (…) Eu preciso Te sentir todo dia!

E olhar pra Tua luz pra não me perder!

Meu Senhor, Tu és a minha alegria

Que eu preciso!!! (…) ” ♫

Não escondo o meu incomodo em relação...

Fuja da letargia teológica

epresenta uma grande verdade o fato de que o “fazer teológico” não pode ser sintetizado simplesmente à teoria, visto que a práxis teológica é fundamental para o exercício...

“Não preciso de teologia!”

“Não preciso de teologia!”

Pensamentos me intrigam de modo insistente quando tenho o desprazer de ouvir cristãos, sejam eles nominais ou práticos, afirmarem que “não precisam de teologia”. Minha in...

As Antiquíssimas Doutrinas da Graça de Deus

O critério mais importante usado pela Crítica Textual para determinar se um texto bíblico está mais próximo de seu autógrafo é o da “antiguidade”. Quanto mais antigo for o ...

Página 1 de 53

estudosbiblicos5