..::Ministério da Reconciliação::..

Text size
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Estudos Bíblicos Doutrinários O que a Bíblia diz sobre: vocação Cristã

O que a Bíblia diz sobre: vocação Cristã

E-mail Imprimir PDF

biblia_vocacaoA pergunta “o que você vai ser” é tão antiga quanto o homem. Muito mais que um questionamento teológico responder a essa incógnita é assumir uma postura filosófica ante a vida de uma sociedade que marginalizou a transcendência da palavra “vocação”.

Evidencia-se na vida humana em âmbito universal o dilema para responder a esta que é uma das mais inquietantes perguntas: por que estamos aqui?

 

Diante deste porquê a vida cristã torna-se um quebra cabeças a ser montado, a fim de desfrutarmos da alegria que o exercício da vocação produz. Entendendo que a vocação tem sua profunda dimensão “religiosa” seria muito profícuo examinar a teologia paulina da vocação. Para o apóstolo Paulo a vocação se distingue do mero talento humano. Partindo da sua própria experiência ele conceitua vocação como “uma convocação para ser instrumento de proclamação do governo e da providência divina” (Atos 9:15-16).

Buscando uma compreensão mais clara da Bíblia sobre o assunto encontramos no pensamento de Paulo a vocação como uma tremenda compulsão interior (1 Co.9:16).

Exegeticamente falando na referida passagem vocação é uma pressão interior, porém vinda de fora sobre sua vontade interior e pessoal. “Vocação é o lugar onde sua profunda alegria se encontra com sua profunda necessidade do mundo” (Frederishe Buchener).

No pensamento de Paulo a vocação tem duas dimensões:

A convocação à salvação precede a convocação ao serviço cristão (1 Ts 2:13; 1 Tm 6:12; Ef 1:4-5)

  • “Deus não colocou marcas brancas nas costas dos eleitos, do contrário eu passaria o resto dos meus dias levantando camisas nas ruas de Londres, por isso é meu dever pregar Cristo a todos” (Charles Spurgeon).

O serviço cristão precede o ingresso na família de Deus (Hb.3:11; 2 Pe.1:3; Fp.2:13; 2 Co.5:18).

Conclui-se: não chegamos a este planeta com habilidades inatas, mas com um princípio vocacional: DESCOBRIR QUAL SUA VOCAÇÃO EXIGE QUE CADA UM MONTE AS PEÇAS DE SEU QUEBRA-CABEÇA.

Construamos, pois, uma rota com o mapa das escrituras que nos levem ao coração da vocação onde se encontram os tesouros do Espírito de Deus. A palavra vocação é oriunda da língua latina significando VOZ. Descobrir a vocação implica ouvir com atenção, fazer uma leitura das circunstancias vivenciadas onde fomos utilizados de uma forma diferente e demonstramos habilidades que desconhecíamos.

Não existe romantismo na vocação, o exercício da vocação vai nos fazer transpirar responsabilidades. A vocação destrói toda virtude barata e toda paciência teatral, visto que na metáfora paulina do atleta a carreira que corremos é uma carreira de paciência (Fp 3.18). Não vencem os mais velozes, mas os que mantêm os olhos fitos no autor e consumador da vocação que lhe foi outorgada.

Pb. Luciêr J. de Freitas
ETECAM - Escola Teológica de Camboriú
Diretor Pedagógico

 

licoes2019