..::Ministério da Reconciliação::..

Text size
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Estudos Bíblicos Escatologia DISTORÇÕES DA ESPERANÇA

DISTORÇÕES DA ESPERANÇA

E-mail Imprimir PDF

Certa é a volta do Senhor. Inevitável é o seu retorno dos céus para reinar. Entretanto, não poucas vezes essa esperança indizível foi distorcida a ponto de transformar em prejudicial uma verdade divina. Um exemplo disso é quando cristãos caem na passividade nesta vida diante da expectativa da vida futura.

            A esperança na vinda de Jesus era muito forte na Igreja primitiva. Era algo que não apenas poderia acontecer a qualquer instante como também algo que aconteceria em breve. Muitos acreditavam que estariam vivos quando esse evento se realizasse. Tinham tanta certeza disso que se preocuparam com o fato de alguns já terem morrido e desejavam saber o que seria deles. Essa foi a razão da epístola aos tessalonicenses. Neles podemos ver quão forte era a impressão causada pela doutrina do retorno de Cristo.

            Essa forte impressão levou-os não apenas a se desesperar com os que morreram como também levou outros a uma inatividade. Não fazia sentido trabalhar se toda a atividade cessaria em breve. Sobre isso o apóstolo Paulo escreveu em sua segunda epístola.

Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto: que, se alguém não quiser trabalhar, não com a também. Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes, fazendo coisas vãs. A esses tais, porém, mandamos e exortamos, por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão. (2Ts 3.10-12)

            Em nenhum momento a Bíblia justifica a passividade nesse mundo pelo fato de que na volta de Cristo muitas de suas atividades cessarão. Pelo contrário, a volta de Cristo como uma possibilidade a qualquer momento obriga os cristãos ao serviço contínuo.

Bem-aventurado aquele servo que o Senhor,quando vier, achar servindo assim. Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens. (Mt 24.46, 47)

            Se alguns alegam que a escatologia não é um assunto importante porque pessoas preocupadas com esse assunto se tornaram por demais infrutíferas em outras áreas como missões ou evangelismo, deve saber que Jesus alertou para os eventos futuros. Entretanto, ele nunca apoiou a inatividade. Dentre os sinais de sua vinda está a pregação do Evangelho a todas as nações (Mateus 24.14). O sono das virgens é uma crítica à mornidão e à acomodação da Igreja antes da volta do Senhor (Mateus 25.5)

            O retorno de Cristo é uma chamado para levantarmos nossas cabeças, cingirmos os nossos lombos, acendermos as nossas candeias, ajudar o nosso próximo, desenterrar nossos talentos, cumprir nossos ministérios e servirmos. Qualquer sentimento contrário à isto não foi produzido pela Palavra e nem pelo Espírito, mas pela natureza decaída do ser humano. Precisamos acordar. Nossa redenção está perto.  

helio2016

Pr. Eguinaldo Hélio de Souza

Escritor, apologeta e mestre em teologia

(www.devocionaiseesbocos.wordpress.com) 

 

 

 

 

 

 

 

estudosbiblicos5