..::Ministério da Reconciliação::..

Text size
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Últimos Tempos Geral Em votação simbólica nesta terça-feira (20), o Plenário do Senado aprovou o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 27/2009, que altera a Lei Rouanet (Lei 8.313/1991) para reconhecer como manifestação cultural a música gospel e os eventos relacionados ao estilo.

Em votação simbólica nesta terça-feira (20), o Plenário do Senado aprovou o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 27/2009, que altera a Lei Rouanet (Lei 8.313/1991) para reconhecer como manifestação cultural a música gospel e os eventos relacionados ao estilo.

E-mail Imprimir PDF

O senador evangélico acredita que a lei interfere no direito da família de educar seus filhos

O senador Magno Malta (PR-ES), que é presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família Brasileira, disse que a Lei da Palmada não será aprovada no Senado Federal. O projeto de lei tem como objetivo impedir que os pais usem a agressão para corrigir seus filhos.

“Sempre provei para população, que família estruturada reflete uma sociedade também estruturada. Filhos têm que ser educados pelos pais. Não podemos interferir na educação e nos bons costumes familiares”, disse o senador evangélico.

Magno Malta reflete bem o que muitos deputados chegaram a questionar antes de votar no projeto que foi aprovado na Câmara. Muitos outros parlamentares também entendem que tal projeto tira da família o direito de corrigir seus filhos e que, portanto, não pode se tornar lei federal.

“É lógico, que sou contra qualquer tipo de violência, mas Deus permitiu as mães corrigirem os filhos com palmadas. Este tipo de correção é também uma forma de amor. É melhor fazer uma criança chorar, do que ter que chorar no futuro”, explicou.

A Lei da Palmada tem como objetivo alterar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) que não definia o que era “maus tratos”. Se for aprovada no Senado a Lei vai punir não só os pais que usarem da violência para com seus filhos como também médicos, professores e funcionários públicos que, ao verem uma vítima de maus tratos, não denunciarem o caso para a polícia.

Fonte: Gospel Prime com informações do Site Oficial Magno Malta

 

estudosbiblicos5